14 de novembro de 2009

Saideira traz Marlene Marchiori a Santa Cruz

O projeto Saideira, realizado pelo Curso de Comunicação Social da Unisc, mais uma vez vai oportunizar um debate cultural com uma profissional renomada na área da comunicação. Desta vez, o convidado será Marlene Marchiori, especialista na área de mercado em comunicação (veja currículo abaixo).

O evento ocorrerá na sexta-feira, 20 de novembro, às 19h30min, no Espaço Camarim – na Livraria e Cafeteria Iluminura, Centro de Santa Cruz do Sul. Após o debate com Marchiori está prevista uma sessão de autógrafos na Iluminura.

Com o mesmo tema, à tarde, a partir das 14 horas, Marlene realizará na sala 1504 da Unisc uma oficina gratuita para os alunos das quatro habilitações do curso de Comunicação Social. As inscrições podem ser feitas no Curso de Comunicação, pelo (51) 3717.7383.

O Saideira existe há três anos e é focado em debates sobre Comunicação trazendo discussões que são acadêmicas. Ocorrem sempre em locais descontraídos, permitindo a presença da comunidade em geral e, especialmente, a interação do público com os convidados. O evento é aberto e gratuito.

Saiba mais sobre a escritora:

Marlene Marchiori é Pós-doutora em Comunicação Organizacional pela Purdue University, dos Estados Unidos. Doutora pela Universidade de São Paulo (USP), com estudos desenvolvidos no Theory, Culture and Society Centre da Notthingham Trent University, do Reino Unido. Tem graduação em Administração e em Comunicação Social - Relações Públicas. Pesquisadora líder dos Grupos de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq): “Comunicação organizacional e relações públicas: perspectivas teóricas e praticas no campo estratégico” e “Comunicação e Cultura Organizacional”. Professora-associada de graduação e de pós-graduação da Universidade Estadual de Londrina (UEL), no Paraná. Ministra cursos como professora-convidad a da ABERJE. Autora do livro “Cultura e comunicação organizacional: um olhar estratégico sobre a organização” e organizadora das obras “Faces da cultura e da comunicação organizacional” e “Comunicação e organização: em processos e práticas” (no prelo). Presta consultoria nas áreas de cultura, estratégia e comunicação organizacional.

10 de setembro de 2009

Pimenta defende diploma na Unisc

O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) vai estar em Santa Cruz amanhã, dia 11, para um debate a respeito das medidas que estão sendo tomadas para garantir a volta da obrigatoriedade da formação superior para o exercício profissional do jornalismo.

Pimenta participa de uma mesa de discussão com o presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul, José Nunes, e o presidente do Núcleo dos Estudantes de Jornalismo do Sindicato, Fernando Rota, e a coordenação do curso de Comunicação Social.

A atividade se inicia às 19 horas, na sala 101 do campus da Unisc de Santa Cruz do Sul e terá a presença de estudantes e profissionais de jornalismo e de outras graduações na área de comunicação.

Pimenta é o relator da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que restabelece a necessidade do curso superior em jornalismo para o exercício da profissão em contraposição à decisão do Supremo Tribunal Federal do dia 17 de junho que determinou o fim da exigência do diploma de jornalismo.

A promoção é do curso de Comunicação Social e parceria com o Centro Acadêmico.

5 de setembro de 2009

Jornalismo da Unisc é o segundo do Estado

Acabo de ficar sabendo, primeiro por meio do jornal Gazeta do Sul e depois pelo Portal Imprensa, que a Unisc é o segundo curso de jornalismo mais importante do Estado, na frente da Unisinos (terceiro lugar) e atrás da PUC de Porto Alegre, que em termos nacionais está em décima posição (a liderança é da Casper Líberto, de São Paulo).

No Estado, o ranking ficou assim constituído:

01. Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS, Porto Alegre, RS)
02. Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC, Santa Cruz do Sul, RS)
03. Universidade do Vale do Rio do Sinos (Unisinos, São Leopoldo, RS)

Em termos de Região Sul, a Unisc é a sexta

01. Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS, Porto Alegre, RS)
02. Universidade Estadual de Londrina (UEL, Londrina, PR)
03. Instituto Superior Educacional Luterano Bom Jesus (IELUSC, Joinville, SC)
04. Faculdade Metropolitana Londrinense (UMP, Londrina, PR)
05. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, Florianópolis, SC)
06. Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC, Santa Cruz do Sul, RS)
07. Universidade do Vale do Rio do Sinos (Unisinos, São Leopoldo, RS)
08. Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul, Tubarão, SC)
09. Universidade Tuiuti do Paraná (UTP, Curitiba, PR)
10. Centro Universitário de Maringá (Cesumar, Maringá, PR).

Na região Sul, de acordo com a matéria, a lista é composta tanto por faculdades tradicionais, públicas ou privadas, quanto por cursos abertos recentemente, em que o investimento em tecnologia e um conjunto de disciplinas mais contemporâneas se destacam positivamente. "Para avaliar as faculdades, foram utilizados critérios como titulação e experiência profissional do corpo docente, infraestrutura e experiência laboratorial, projeto pedagógico e presença no mercado, por meio de pesquisa com editores de cada uma das regiões, que indicaram quais faculdades se destacam nos processos seletivos profissionais", diz o texto do site. O ranking completo será publicado na edição de outubro da Revista Imprensa.

Trata-se de uma excelente notícia para todos.

Confiram a matéria completa por aqui.

3 de setembro de 2009

Unisc oferece tecnólogo em fotografia

Se me permitem, uso este espaço para divulgar, por relevante, o curso Superior de Tecnologia em Fotografia da Unisc, idealizado/promovido/organizado por meu amigo e colega Alexandre Borges. O vestibular está marcado para o final do ano (vestibular de verão
de 2010).

Alguns pontos importantes em relação ao curso:

Duração: 6 semestres (3 anos)
Turno das aulas: noite
Dias de aula: de segunda a quinta-feira.

Dentre as disciplinas do curso constam técnica fotográfica, estética e cultura midiática, comunicação, percepção visual e semiótica, iluminação, oficina de criação fotográfica, poéticas audiovisuais, fotografia digital, empreendedorismo, legislação e ética aplicada, prática laboratorial fotográfica, fotojornalismo etc.

A grade curricular do curso pode ser vista por aqui.

Importante salientar também que o curso Superior de Tecnologia em Fotografia é equivalente ao curso de graduação, ou seja, no término do curso este profissional torna-se graduado (Tecnólogo em Fotografia), podendo posteriormente cursar especializações, mestrado e doutorado.

O trabalho de conclusão do curso constitui-se na construção de um portfólio representativo em relação ao trabalho do próprio aluno.

Mais informações pelo e-mail adaviborges@gmail.com, ou, ainda, pelo telefone do Departamento de Comunicação Social da Unisc, (51) 3717-7383.

Vamos pro SET Universitário?

Para quem não sabe, de 28 a 30 de setembro acontece o 22º SET Universitário da PUC/RS. Eu enviei duas reportagens minhas (ainda preciso dar um jeito num erro de percurso) e sei que mais um monte de colegas do Jornalismo e das outras habilitações enviaram. Então, que tal conferir de perto o evento?

Mesmo quem esqueceu (ainda dá tempo! As inscrições vão até o dia 4 de setembro) ou simplesmente não quis mandar trabalhos para a mostra competitiva, há diversas outras atividades legais por lá, como palestras e oficinas - que ainda não foram divulgadas pela PUC. Além disso, é uma ótima oportunidade de trocar experiências com outros alunos, professores e profissionais da área da comunicação.

Assim, estou organizando, junto com a coordenação do curso, uma viajem para o evento. Quem estiver interessado deve deixar seu nome na coordenação. Ainda não decidimos quanto tempo o grupo ficará em Porto Alegre; onde se hospedará se permanecer mais de um dia; e, quanto ao preço da viajem, a única certeza é que o curso de Comunicação arcará com metade das despesas do transporte. A ideia é que, primeiro, saibamos quem está interessado, para então, decidirmos juntos as questões em aberto.

Vamos lá pessoal! Acho que será uma oportunidade muito boa, tanto do ponto de vista acadêmico (o evento dá, inclusive, certificado), como da viajem e tudo mais. Qualquer dúvida, entrem em contato comigo pelo e-mail vanessakannenberg@mx2.unisc.br.

16 de agosto de 2009

Unisc faz bonito em Gramado


O documentário Juventude Acumulada, produzido por alunos do curso de Produção em Mídia Audiovisual da Unisc, ganhou o prêmio de melhor documentário na categoria universitário gaúcho do Gramado Cine Vídeo. Dirigido por Luisa Damásio (foto), Juventude Acumulada acompanha um dia na vida de Edi, mulher que mora em Garibaldi e vai com suas duas amigas a um baile da terceira idade em Caxias do Sul. Elas tomam um ônibus de linha, chegam ao baile, dançam, se divertem e depois voltam para casa. A câmera acompanha esse percurso e o microfone se abre para as histórias que Edi, Leda e Geni vão contando.

“A Dona Edi conduz o documentário através de suas falas e ações, e na medida em que ela vai interagindo com outros personagens, outras vidas e experiências vão sendo apresentadas”, explica a diretora Luisa Damasio. Além de Luisa, a equipe foi formada também pelos alunos Carlos Ximenes, Lívia Luz e Nândria Oliveira e o câmera Valmor Emmel. O curta foi realizado no segundo semestre de 2008, na disciplina Documentário I, ministrada pelo professor Jair Giacomini.

A entrega do prêmio ocorreu dia 14 de agosto, sexta-feira. Luisa Damasio recebeu o troféu Galgo Alado das mãos da atriz Daniela Escobar.

12 de agosto de 2009

Alunos da Unisc no festival de Gramado


Uma equipe formada por seis alunos de Jornalismo e de Produção em Mìdia Audiovisual da Unisc, sob a supervisão de professores, está em Gramado fazendo a cobertura do 37° Festival de Cinema e do 17º Gramado Cine Vídeo. Os alunos estão produzindo conteúdo para a Unisc Tv (Canal 15, Net) e para o site do Curso de Comunicação Social (http://hipermidia.unisc.br/gramado).

Todos os anos, o curso de Comunicação Social participa dessa atividade, viabilizando experiência de cobertura de eventos e do setor cinematográfico para os alunos. O grupo permanece até sábado na Serra produzindo textos, fotos, áudios e vídeos que serão disponibilizados diariamente no site e um telejornal especial com os principais acontecimentos do Festival de Cinema e do Cine Vídeo.

O programa será exibido no dia 21 de agosto, sexta-feira, às 18h30. Nas duas mídias, estarão os principais fatos que acontecem no Festival e entrevistas com as personalidades do cinema que circulam no Palácio dos Festivais, em Gramado.

A equipe é supervisionada pelos professores Jair Giacomini, Demétrio de Azeredo Soster e Leonel Aires. Os alunos são monitores da Agência Experimental do Curso de Comunicação Social e estagiários da Unisc Tv.

Produções da Unisc
Além da cobertura, o curso de Comunicação Social participa do Gramado Cine Vídeo com produções dos alunos, que concorrem nesse evento paralelo ao Festival de Cinema, com produções universitárias. Foram selecionados para participar da disputa do Gramado Cine Vídeo dois trabalhos produzidos por alunos do Curso, ambos na mostra competitiva da categoria Universitário Gaúcho: o vídeo Som daqui, dos alunos Estela Pils, Lívia Luz, Luísa Damasio, Marina Vlacic e Matheus Unfer de Freitas, concorre no gênero Programa de T; e o vídeo Juventude Acumulada, produzido pelos alunos Lívia Luz, Luísa Damásio, Carlos Eduardo Ximenes e Nândria Oliveira, no gênero Documentário. Os dois vídeos foram exibidos ao público nessa terça-feira e a premiação do Cine Vídeo acontece na sexta-feira, às 17 horas.

Equipe de cobertura:
Agência Experimental (Jornalismo)
Alunas: Ana Cláudia Seibel Schuh, Bruna Wolff de Matos
Coordenador: Demétrio Soster

Agência Experimental (Produção em Mídia Audiovisual)
Alunas: Janaína de Ferreira Blanco e Simoni Cláudia Helfer
Coordenador: Jair Giacomini

Unisc Tv:

Alunas: Letícia Mendes Pacheco e Marina Vlacic Morais
Câmeras: Pablo Vargas de Melo e Valmor Emmel
Coordenador: Leonel Aires

Sinopse do Som daqui:

A proposta do programa é retratar o trabalho dos músicos da região de Santa Cruz do Sul. Isso se dá a partir do acompanhamento de um dia de ensaio de uma banda ou de um músico dos mais variados estilos, entrevistando os artistas e exibindo suas músicas. A ideia é mostrar a realidade mais próxima possível da relação entre os músicos dentro do grupo e com o ambiente que, de fato, utilizam para seus ensaios. Essa estética é incorporada no próprio formato do programa.

Sinopse do Juventude Acumulada:
O documentário mostra a ida e a volta de Edi Lorenzi, residente em GaribaldiRS, a um baile de terceira idade em Caxias do Sul/RS, juntamente com duas amigas – Geni Brum e Leda dos Santos , em um ônibus de linha. Durante o documentário, Dona Edi, como é conhecida, conduz o enredo como um fio condutor entre outros personagens que vão surgindo e vão apresentando a forma como escolheram encarar e aproveitar melhor a sua velhice. O tema terceira idade em um primeiro instante pode parecer um lugar-comum. No entanto, tornou-se original a partir do momento em que se percebe a particularidade das personagens de Dona Edi e suas amigas, na forma como cada uma leva a vida.

Comunicação da Unisc está cobrindo Gramado


Uma equipe formada por seis alunos de Jornalismo e de Produção em Mìdia Audiovisual da Unisc, sob a supervisão de professores, está em Gramado fazendo a cobertura do 37° Festival de Cinema e do 17º Gramado Cine Vídeo. Os alunos estão produzindo conteúdo para a Unisc Tv (Canal 15, Net) e para o site do Curso de Comunicação Social (http://hipermidia.unisc.br/gramado).

Todos os anos, o curso de Comunicação Social participa dessa atividade, viabilizando experiência de cobertura de eventos e do setor cinematográfico para os alunos. O grupo permanece até sábado na Serra produzindo textos, fotos, áudios e vídeos que serão disponibilizados diariamente no site e um telejornal especial com os principais acontecimentos do Festival de Cinema e do Cine Vídeo.

O programa será exibido no dia 21 de agosto, sexta-feira, às 18h30. Nas duas mídias, estarão os principais fatos que acontecem no Festival e entrevistas com as personalidades do cinema que circulam no Palácio dos Festivais, em Gramado.

A equipe é supervisionada pelos professores Jair Giacomini, Demétrio de Azeredo Soster e Leonel Aires. Os alunos são monitores da Agência Experimental do Curso de Comunicação Social e estagiários da Unisc Tv.

Produções da Unisc
Além da cobertura, o curso de Comunicação Social participa do Gramado Cine Vídeo com produções dos alunos, que concorrem nesse evento paralelo ao Festival de Cinema, com produções universitárias. Foram selecionados para participar da disputa do Gramado Cine Vídeo dois trabalhos produzidos por alunos do Curso, ambos na mostra competitiva da categoria Universitário Gaúcho: o vídeo Som daqui, dos alunos Estela Pils, Lívia Luz, Luísa Damasio, Marina Vlacic e Matheus Unfer de Freitas, concorre no gênero Programa de T; e o vídeo Juventude Acumulada, produzido pelos alunos Lívia Luz, Luísa Damásio, Carlos Eduardo Ximenes e Nândria Oliveira, no gênero Documentário. Os dois vídeos foram exibidos ao público nessa terça-feira e a premiação do Cine Vídeo acontece na sexta-feira, às 17 horas.

Equipe de cobertura:
Agência Experimental (Jornalismo)
Alunas: Ana Cláudia Seibel Schuh, Bruna Wolff de Matos
Coordenador: Demétrio Soster

Agência Experimental (Produção em Mídia Audiovisual)
Alunas: Janaína de Ferreira Blanco e Simoni Cláudia Helfer
Coordenador: Jair Giacomini

Unisc Tv:

Alunas: Letícia Mendes Pacheco e Marina Vlacic Morais
Câmeras: Pablo Vargas de Melo e Valmor Emmel
Coordenador: Leonel Aires

Sinopse do Som daqui:

A proposta do programa é retratar o trabalho dos músicos da região de Santa Cruz do Sul. Isso se dá a partir do acompanhamento de um dia de ensaio de uma banda ou de um músico dos mais variados estilos, entrevistando os artistas e exibindo suas músicas. A ideia é mostrar a realidade mais próxima possível da relação entre os músicos dentro do grupo e com o ambiente que, de fato, utilizam para seus ensaios. Essa estética é incorporada no próprio formato do programa.

Sinopse do Juventude Acumulada:
O documentário mostra a ida e a volta de Edi Lorenzi, residente em GaribaldiRS, a um baile de terceira idade em Caxias do Sul/RS, juntamente com duas amigas – Geni Brum e Leda dos Santos , em um ônibus de linha. Durante o documentário, Dona Edi, como é conhecida, conduz o enredo como um fio condutor entre outros personagens que vão surgindo e vão apresentando a forma como escolheram encarar e aproveitar melhor a sua velhice. O tema terceira idade em um primeiro instante pode parecer um lugar-comum. No entanto, tornou-se original a partir do momento em que se percebe a particularidade das personagens de Dona Edi e suas amigas, na forma como cada uma leva a vida.

3 de agosto de 2009

Chamada para Prêmio Adelmo Genro Filho


Repasso e-mail do amigo e colega Rogério Christofoletti, por relevante, relativo ao Prêmio Adelmo Genro Filho de Pesquisa em Jornalismo:

"Restam apenas sete dias para o final do prazo de inscrição para a quarta edição do Prêmio Adelmo Genro Filho de Pesquisa em Jornalismo. A premiação é concedida pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor) e é voltada a trabalhos que tenham sido elaborados durante o ano de 2008.

São três categorias: Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado. Uma quarta categoria (Sênior) é atribuída a pesquisadores com reconhecida trajetória no campo do Jornalismo.

O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis no site da SBPJor, e os trabalhos devem ser enviados para o email premiosbpjor@yahoo.com.br Entre as novidades deste ano está a composição das comissões avaliadoras por três membros, e a possibilidade de envio de trabalhos de iniciação científica em co-autoria.

Os resultados têm anúncio previsto para 6 de outubro. Os vencedores de cada categoria e seus respectivos orientadores recebem seus diplomas de mérito durante o 7º Encontro Nacional de Pesquisadores de Jornalismo, em novembro em São Paulo.

Mais informações: http://www.sbpjor.org.br/sbpjor/?page_id=421

Reforçando: inscrições no PAGF 2009 até 10 de agosto!!!"

21 de julho de 2009

SET da PUC já está inscrevendo trabalhos

Notícia do Coletiva.net:

"Estão abertas até 31 de agosto as inscrições para a Mostra Competitiva do 22º SET Universitário, evento promovido pela Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da PUC. Alunos de cursos superiores de Comunicação e de Cinema e Audiovisual podem participar com trabalhos realizados em atividades curriculares nos semestres de 2008/2 e 2009/1. O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis no site www.pucrs.br/famecos.

O concurso premia os alunos autores dos melhores trabalhos desenvolvidos em atividades acadêmicas e os professores orientadores. As categorias da Mostra são (a) Jornalismo, com 24 subcategorias, (b) Publicidade e Propaganda, com 11 subcategorias, (c) Relações Públicas, com 12 subcategorias, e (d) Cinema e Audiovisual, com cinco subcategorias.

Todos os trabalhos devem ser acompanhados da ficha de inscrição disponível no site, completamente preenchida. Para as peças da categoria Publicidade, é necessário apresentar um briefing de no máximo 15 linhas, conforme detalhamento constante no regulamento. Os filmes da categoria Cinema e Audiovisual precisam de ficha técnica, conforme o modelo disponível no link de inscrições. Os trabalhos podem ser entregues pessoalmente na Famecos ou postados no correio até 31 de agosto.

Desde 1988, o câmpus central da universidade, em Porto Alegre, recebe estudantes provenientes de diversos municípios gaúchos, estados, países do Cone Sul e de Portugal que têm a oportunidade de trocar experiências com professores, pesquisadores e profissionais que atuam fora da academia. Todos buscam sintonia com as tendências da área, além de aprofundar as possibilidades de reflexão e de experimentação. A cada edição, ocorrem palestras, oficinas e a Mostra Competitiva. Em duas décadas, tornou-se uma referência para estudantes e profissionais de todo o país. Em 2009, o SET ocorrerá de 28 a 30 de setembro".

8 de julho de 2009

Para o resto da vida...

Queridos colegas/amigos...

falar que tive medo do Demétrio não é mais novidade (que coisa não!). Mas jamais imaginei que sentiria falta da turma reunidade em aula nas segundas. Tenho que confessar também, que em nenhum momento imaginei que iria gostar de ler Chatô, José Amilton, entre outros.
Relamente, foi uma aula!!

Agradeço novamente pela amizade e coleguismo de todos.

*Para àqueles que ficaram em dúvida: eu não estou apaixonada!! Hihihihihi*

6 de julho de 2009

Uma aprendiz da vida

Encaro a vida como uma aprendizado e os problemas como desafios. Porém, tenho um propósito, que é aprender algo novo todo tempo. Permitir que a vida me ensine coisas que ainda não sei. Aprender com pessoas muito mais jovens: vocês colegas
E óbvio, aprender com quem já tem uma longa experiência de vida, sempre: Professor.
Adoro comunicação, então estudo Jornalismo, como diz a Manu, com muito orgulho. Ter tido a oportunidade de aprender com vocês jovens colegas foi bacana, foi motivador, foi emocionante. Ter como Professor o Demétrio, foi sem dúvida uma evolução, parabé pela metodologia utilizada, é na prática que aprendemos, com certeza.
Manu, li o teu post, OBRIGADA pelas palavras. Vou levar para a vida o que você sempre me disse desde o inicio do semestre. Essas considerações o Professor também fez na avaliação individual. Obrigada Professor.
De coração vocês foram maravilhosos, foram humanos, foram incentivadores e parceiros.
Os que vão se formar no final de ano, me avisem que vou assistir vocês no auditório.
Um forte abraço.

3 de julho de 2009

Logros e logrados

O texto aí debaixo é de Juremir Machado da Silva, colunista do Correio do Povo, professor e pesquisador pelo PUC de Porto Alegre. Leiam. É importante:

"O meu espírito é anarquista por natureza. Por mim, no extremo, fazendo caricatura, só profissões capazes de realmente colocar em risco a vida de um a pessoa, como medicina, deveriam exigir um diploma universitário específico. Mas isso é um sofisma bem ao gosto do raciocínio de mesa de bar. Conversa fiada. Universidade é cultura, experiência de vida, leitura, reflexão, espaço de discussão, descoberta do mundo, construção de imaginário. Faz o cérebro funcionar. Quando eu ouço um jornalista dizer que passou quatro anos na faculdade e não aprendeu nada, sou categórico: o problema não é da faculdade. Por pior que ela seja. É do cara que diz uma asneira dessas. Só tem duas explicações: ele é burro ou é burro. Ou é burro intelectualmente, incapaz de aprender, ou é burro emocional, cego para as oportunidades.

Claro, o sujeito pode ser gênio. Jamais conheci um. Nem Jean Baudrillard, Jean-François Lyotard e Jacques Derrida, com quem aprendi muito e achava assombrosamente inteligentes. Nem, para ficar em vivos universalmente conhecidos, Umberto Eco e Edgar Morin. Tenho encontrado muitas pessoas inteligentes. Todas dizem que aprenderam bastante na universidade e souberam continuar aprendendo por conta própria. Eu não tenho complexos. Estou bem satisfeito com a minha inteligência. Aprendi muito na Faculdade de Comunicação e História da PUC. Aprendi muito no curso de Antropologia da Ufrgs (terminou mal). Aprendi muito na Aliança Francesa em Paris, no Instituto Goethe, em Berlim (já esqueci), na Sorbonne, com Michel Maffesoli, no Colégio da França, onde segui as aulas de Pierre Bourdieu e Umberto Eco, na Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais de Paris, com Derrida e Castoriadis.

Aprendi muito nesses lugares. Mas meus primeiros e decisivos aprendizados foram na Famecos, onde hoje me orgulho de ser professor. Aprendi e vi meus colegas aprenderem. Entramos todos meio toscos e saímos, em geral, muito melhores. Nas humanidades, onde se insere o jornalismo, o fundamental é o espaço de efervescência. Nada mais patético, quase sempre, do que ler opiniões sobre educação e ciência de jornalistas que desprezam a academia. São opiniões positivistas, anacrônicas, retrógradas, pré-Eistein (ia dizer pré-Popper, mas isso os obrigaria a uma corrida para o Google), baseadas num 'conteudismo' primário do tipo saber na ponta da língua a capital do Casaquistão ou se lembrar do valor do pi.

Cursos de jornalismo em empresas muitas vezes descambam para isso. Em Porto Alegre, já se teve cursos de empresa com o pessoal de uma entidade ultraconservadora europeia. Os guris não ficavam melhores como jornalistas, mas se tornavam reacionários e vestiam para sempre a camiseta dos patrões. Uma boa faculdade de Jornalismo deve ensinar a fazer o jornalismo global provinciano. Mas, acima de tudo, deve criar condições para se discutir esse jornalismo rasteiro e arrogante. Enfim, graças à Famecos, eu descobri um mundo novo de teoria, prática e autores. E reaprendi a escrever. Vai ver que, para um idiota como eu, uma faculdade faz bem".

10 com louvor

Cadê os colegas? Deixaram o blog de lado né? Pois saibam que este é um bom meio para divulgação de ideias. Mas este não é o tema central desta postagem. Queria deixar claro que aprendi muito durante este semestre. Fiz amizades que certamente não serão jogadas ao vento. Cito a Rozana, a Mari, a Lê...entre outras. O meu 10 foi suado, francamente, mas atribuo minha nota ao desempenho de todos, pois sem força de vontade a revista não teria sido publicada. Hoje tenho certeza de que nasci para trabalhar em edição, pois tenho uma visão muito crítica de tudo e bom senso para aparar as arestas. Se errei, peço desculpas. Mas dei também o melhor de mim para este projeto. O blog do Unicom será, a partir do próximo semestre, mais um canal de comunicação, além deste, lógico. E aqueles que farão a próxima Exceção, aproveito para desejar boa sorte! Vou cobrar, como leitora, um trabalho de fôlego. E sei que receberei a resposta dos colegas/amigos.
Valeu equipe, valeu amigos...VALEU TUDO...
Contem comigo sempre...

A Pit Bull fêmea foi apenas uma lenda, o que há de verdade é a Emanuelle Dal-Ri, uma criança com coração e alma de JORNALISTA.

- Meus recados:

* Para a Mari: Não tenha medo de mostrar a sua capacidade. Continue assim, uma lutadora.
* Para a Letícia: Não tenha medo do Demétrio. O cara é "mara". Que coisa não! Sejas sempre essa amiga legal e atenciosa.
* Para a Rozana: Sem palavras para essa menina. Jamais pensei em encontrar uma colega assim, outra com alma de jornalista.
* Para a Ana: Acho que você encontrou sua área também né amiga? Entre outros, a diagramação...
* Para a Aline: Negaaaaaa...tu é muito gente boa.
* Para o Wesley: Valeuuuu por tudo....produçãooooooo
* Para o Urgel: Fantasminha mais camarada do mundo
* Para a Lari: Manda esse povo se f... Ser quietinha é uma característica legal sua.
* Para o Tiago: Aquela interpretação da Lari, pow...tu é ator velho!
* Para o DEMÉTRIO: Descobri, com a Exceção, um homem que não perde o profissionalismo e a ética quando demonstra sua amizade. Valeu professor, por tudo!
* Para o resto: VALEU GALERA....obrigada de coração...



Emanuelle Dal-Ri

29 de junho de 2009

De doer as bochechas!

É, o vídeo tá hilário mesmo! E eu posso garantir que foi muuuuito difícil escolher as cenas, porque estava tudo tão engraçado...
Vocês não imaginam o quanto eu ri decupando as fitas! E o Demétrio é testemunha, porque ele também não se conteve e foi lá na TV dar uma espiadinha.

28 de junho de 2009

Um espetáculo

Acabei de ver o vídeo, ficou showww.
E mais, pessoal, para quem não leu o livro: O REPÓRTER DO SÉCULO, leiam. É mara...

Bom domingo e até amanhã.

27 de junho de 2009

Último Diz Aí do semestre já está nos murais

A quarta e última edição desse semestre do jornal-mural Diz Aí, distribuidas ontem, dia 26, nos murais correspondentes ao curso de Comunicação Social da Unisc, tem um tom diferente. Ao mesmo tempo esclarecedor e crítico, o tema é a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de abolir a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão de jornalista.

A escolha do assunto surgiu numa reunião com todos os monitores da Agência Experimental de Jornalismo, há pouco mais de uma semana. Mas quem colocou a mão na massa foram Ana Cláudia Schuh, Danielle Rubim, Fábio Goulart, Géferson Kern e Luana Rodrigues, e a diagramação ficou por minha conta, Vanessa Kannenberg. Sem esquecer do nosso editor-chefe, prof. Demétrio de Azeredo Soster.

Para fazer download do jornal-mural basta acessar o blog Diz Aí.

26 de junho de 2009

Hoje tem festa do DA!!!


Gente, hoje tem festa de reativação do DA e fim de semestre!!!!!! A função toda acontece na Dom King e terá a presença da DJ Day Kersting, DJ Jakson, DJ Liane Haas e DJ Guinther. Haverá também open bar das 23h à meia-noite!!
Ingressos antecipados no valor de R$ 6 podem ser adquiridos com integrantes da diretoria, no DA ou na coordenação!
Contamos com a presença de todos!!!!!!

Jornalismo se mobiliza contra decisão do STF


Desde quarta-feira, 17 de junho, professores e alunos do curso de Jornalismo da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) estão se mobilizando contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que pôs fim à obrigatoriedade da formação superior para o exercício profissional do jornalismo. Além de entrevistas para a imprensa regional, têm sido feitas reuniões explicativas com os alunos de Jornalismo e demais habilitações da Comunicação Social, conscientização dos candidatos a curso de Jornalismo no vestibular da Unisc, (que ocorreu no sábado, dia 20 de junho) e publicado artigos na imprensa regional. A mobilização deve continuar com novas ações na próxima semana.

Para a coordenação do curso, é um retrocesso para o país revogar a obrigatoriedade da formação superior, que tem garantido a qualidade da imprensa nos últimos 40 anos. A profissão que já tem quatro séculos de existência dá suporte a uma das principais instituições sociais, a imprensa, que por sua vez tem garantido a vigilância sobre os poderes e contribuído para a democracia em inúmeras nações.

No dia 24 de Junho, à noite, os alunos do curso de Jornalismo realizaram uma manifestação no campus central da instituição, mostrando sua indignação contra a decisão do STF. Por meio do Diretório Acadêmico, os alunos fizeram uma passeada pelos principais pontos do campus, esclarecendo a comunidade universitária da importância do curso superior na formação jornalista. Distribuíram material, expuseram faixa e fizeram um "panelaço" para chamar a atenção. A imprensa regional deu cobertura e boa parte da comunidade universitária apoiou aplaudindo a manifestação ou verbalizando a indignação contra a decisão do STF.

25 de junho de 2009

Lamento

Li os post da Manu e Ana Flávia e lamento sinceramente de não poder ter participado da passeata. Estava de espírito presente com voccês, com certeza, mas não deu. Sabem, sou pai e mãe e a Thaizinha precisou de mim, afinal a saúde dos filhos sempre em primeiro lugar. Parabéns a vocês que fizeram a manifestação, tenho orgulho de vocês colegas.
Quanto a revista, vou conseguir ver e pegar, folhear somente na segunda-feira.
Abraço a todos.

Sim, deu bafo!

Como diz a Manú, deu bafo...

Mesmo com aproximadamente duas dezenas de pessoas presentes, a palavra de ordem foi movimentar o campus. E acho que isso foi alcançado...

Como estudante de jornalismo, agradeço a massiva participação dos alunos de PP, RP e Mídia, assim como a participação no trajeto do professor Leonel.

Sabemos que não é tão fácil mudar as coisas. Mas pequenos atos muitas vezes dão resultados!

Obrigada a quem esteve presente!

Deu bafo...

Meu segundo post é sobre a manifestação dos alunos da Comunicação Social. Ontem, mesmo com o frio intenso, um aguerrido grupo de estudantes percorreu grande parte do campus para cobrar respeito das autoridades. Com faixas, fantasias e muita força no grito, o protesto mostrou a solidariedade dos outros três cursos com o duro golpe aplicado no Jornalismo. A maioria dos participantes foram alunos de Relações Públicas, Publicidade e Propaganda e Produção em Mídia. E os jornalistas? Bom...poucos lá estiveram. Meus queridos colegas e amigos, queria descobrir o porquê de termos o apoio de somente um ou dois alunos da disciplina de Jornalismo de Revista. GENTE...vocês ainda não se deram conta da decisão do STF? Me parece que não, pois não se importaram em ir à universidade para lutar por um DIREITO nobre como a obrigatoriedade do diploma! Quem não tem a capacidade de mostrar sua opinião nestes momentos, também não pode reclamar depois. Sinceramente, mesmo que doa, decepcionante. Ciente de que todos têm outras atividades mais importantes a fazer, não vou aqui cobrar nada. Mas que dá raiva, ah isso dá! (post cheio de NÃOS...)
Meus parabéns, contudo, à galera do D.A da Comunicação Social. É notável que o Caco voltou com tudo.

Orgulho!

Meu primeiro post de hoje é sobre a Revista Exceção. Como sub-editora, percebo que o trabalho, de forma global, ficou bom. É claro que tudo sempre pode ser melhorado, mas num balanço geral, sem sombra de dúvidas, a qualidade ganhou disparada. O espírito Exceção, ao que me consta, parece ter tomado conta da maioria, e como é dignificante ver todo um semestre ao alcance das mãos. Suamos, suamos muito! Lembro-me bem do início do semestre, quando os primeiros textos e fotografias começaram a aparecer. Francamente, após noites de análises nas reportagens, cheguei a ficar com centenas de cabelos brancos (coisa que eu não tinha). Estudando cada linha, percebi que grande parte dos repórteres poderia dar mais de si. E foi isso que a edição cobrou. Buscamos o talento "escondido" pelo medo. Sentimento que era evidente em suas próprias fisionomias. Entendemos que, como humanos que somos, estamos pré-dispostos ao erro. Durante a produção da revista, quando precisava pedir correções, usei uma fórmula que, na maioria das vezes, pode dar certo: Ao invés de ser Pit Bull, fui amiga - mas não deixei de exigir o melhor - Com palavras duras, mas bem embasadas, consegui a façanha de aumentar a auto-estima de muitos colegas. Isso se refletiu no resultado das matérias, pois passaram a acreditar mais em si mesmos e também no potencial que deixavam no armário.
Deu certo!
O aprendizado foi elevado na milésima potência
E a Exceção 2009/01 está aí...motivo de orgulho não somente para nós, mas para o Curso de Comunicação Social como um todo.
Parabéns a todos

24 de junho de 2009

LINDA!

Gente, acabei de pegar a Exceção nas mãos! Embora não tenha conseguido ler tudo ainda, assim como uma mãe que olha para um filho, sou obrigada a dizer que a revista ficou LINDA!!!!!

Peguei antes na coordenação uma pilha e distribui para meus colegas de Técnicas de Reportagem, assim como vou levar mais uma porção delas para Venâncio, a fim de distribui-las para meus colegas de trabalho, mãe, vó, amigos, e quem mais se interessar... hehehehehe...

Gostaria de dar os parabéns para toda a turma, que em um semestre conseguiu desenvolver mais uma Exceção, essa revista que enche os olhos de quem a pega nas mãos!

Valeu todo o esforço e o trabalho!

P.S.: Lembro que hoje, às 20h30min, acontece a passeata de manifestação sobre a queda do diploma. Contamos com a participação de todos!!!

23 de junho de 2009

Turma

Para aqueles que não foram na aula segunda perderam. O filme era sensacional. Reflexivo. Pensativo.
Infelizmente está no fim. Jornalismo de Revista. Jamais imaginei que essa disciplina seria tão significativa. Quero agradecer, novamente, à todos: obrigada!!

Espero levar adiante essas amizades boas que cultivei dentro da sala de aula.

Ótima semana para todos.

Abraços :)

Manifesto será nesta quarta!

Colegas!

Embora a decisão já esteja tomada, não podemos nos calar diante do golpe dado pelo Supremo Tribunal Federal na nossa profissão. Por isso, nesta quarta-feira, às 20h30min, convocamos todos os estudantes para uma passeata pelo campus da Unisc. O local de encontro será em frente à sala do DA, entre os blocos 14 e 15. Vale levar faixas, cartazes, fantasiar-se, e o que mais a criatividade permitir. Lembramos que os alunos que tem aula nesse dia serão liberados neste horário para participar da manifestação.

Contamos com a participação de todos!

Diretório Acadêmico dos Estudantes

22 de junho de 2009

Queda do diploma

Colegas, hoje à noite deve acontecer um bate-papo entre professores e alunos do curso sobre a queda do diploma. O D.A. e a coordenação estão organizando os horários, já que, por ser muitos alunos, os momentos serão divididos.

Quem tiver aula hoje, participa!

Já na terça-feira pela manhã, deve acontecer uma caminhada de manifestação sobre o assunto. Todos estão convocados!

Alunos visitam ZH e Jornal do Comércio


Por Alan Zuchetti Monteiro

Manhã nublada, opaca. Vento no rosto, mãos geladas. Ah, também havia a previsão de chuva. Mas nada disso tirou o entusiasmo dos alunos da disciplina de Fundamentos de Jornalismo Impresso que, na companhia da professora Ângela Felippi, saíram da UNISC quarta-feira, dia 17, com destino à capital da província, Porto Alegre. Mais precisamente às redações de Zero Hora e Jornal do Comércio.

No caminho, focas desgarradas juntaram-se a manada, que abrigava também alunos de outras turmas e habilitações. E depois de quase duas horas de sonolência, conversa-fiada e risadas, avistaram os prédios. Ó, a cidade grande, ó, a cidade grande, brincou alguém, lembrando os tempos de escola.

Sob garoa fina, a turma desceu do micro-ônibus rumo à primeira parada, Zero Hora. Antes, fez um tour pelo Espaço RBS, espécie de museu de história do Grupo RBS, que agora se concentra em apenas um prédio, o que proporcionou também uma visita rápida à Rádio Gaúcha. Na redação, não se viu David Coimbra e tampouco Paulo Sant’Anna. O espaçoso andar parecia estar envolto pela calmaria; poucas pessoas – e essas concentradas, silêncio, caso típico pelas manhãs. Conversa vai, conversa vem e, parada pro almoço.

À tarde, o Jornal do Comércio. Descoberta prazerosa, daquelas que marcam. Apresentação, tira-dúvidas e depois conhecemos a pequena e aconchegante redação, sua simpática equipe e o parque gráfico. Tudo funcionando em pleno engajamento e com muito bom humor. Destaque para o caderno Panorama, de variedades, que mesmo fazendo parte de um jornal segmentado à Economia e à Política consegue ser primoroso.

De volta aos vilarejos do Vale, o que fica é a sensação de curiosidade temporariamente saciada; um até breve, vontade de voltar, de fazer parte daquilo, quem sabe?

20 de junho de 2009

Jornalistas prometem grande manifestação em Porto Alegre

Apitos e narizes de palhaço estarão na manifestação em defesa do diploma

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul e o Núcleo de Estudantes de Jornalismo da entidade marcaram um grande evento em defesa do diploma de jornalista. Estão convocando profissionais e estudantes de todo o Estado para o ato, que será realizado na Esquina Democrática, centro de Porto Alegre, ao meio-dia da próxima quarta-feira, 24.

A manifestação atende à recomendação da Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) e será feita com faixas, cartazes, bonecos, apitos e narizes de palhaço. Com isto, os manifestantes pretendem mostrar a inconformidade com a decisão do Supremo Tribunal Federal, que considerou inconstitucional a exigência do diploma de curso superior para o exercício da profissão de jornalista. Jorge Corrêa, vice-presidente do Sindicato dos Jornalistas, informou que a sociedade, “que também saiu prejudicada com a decisão”, está sendo convidada para participar.


Fonte: Site Coletiva.net

18 de junho de 2009

Minha manifestação de repúdio

É lamentável que num órgão como o STF, atuam pessoas que exigem respeito de outras, porém sendo desumanas. Realmente é vergonhoso ter que engolir ministros como estes: Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Eros Grau, Carlos Ayres Britto, Cezar Peluso, Ellen Gracie e Celso de Mello que seguiram o voto do relator Gilmar Mendes. Ministros que não tem noção do que estão fazendo, que exigem respeito ao público e que ainda recebem respeito, porque se consideram donos da verdade.
Para Mendes, o fato de um jornalista ser graduado não significa mais qualidade aos profissionais da área. "A formação específica em cursos de jornalismo não é meio idôneo para evitar eventuais riscos à coletividade ou danos a terceiros.". Imaginem o conceito que ele tem de nós? Além disso ainda comparou a profissão de jornalista com a de um chefe de cozinha "Um excelente chefe de cozinha poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima estarmos a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área", nada contra os chefes de cozinha, pelo contrário, uma profissão apreciadora, porém o meu repúdio é a forma como eles argumentaram o fim do diploma para os jornalistas? Sinceramente um verdadeiro "nojo", pois foi essa palavra que caiu da minha boca neste instante.
Somente um foi favorável, Marco Aurélio Mello e disse que qualquer profissão é passível de erro, mas que o exercício do jornalismo implica uma "salvaguarda". "Penso que o jornalista deve ter uma formação básica que viabilize sua atividade profissional, que repercute na vida do cidadão em geral", argumentou Mello.
Continuo admirando o jornalismo e tenho prazer em dizer que estudo na Unisc no curso de COMUNICAÇÃO SOCIAL/JORNALISMO.
Concordo com a Manu, vamos nos manifestar.
Abraços calorosos a todos.

ORGULHO DE SER JORNALISTA

O golpe foi duro. Cheguei em casa ontem, depois de uma edição super demorada, e me deparei com a triste notícia de que o STF teria derrubado a Lei que exige diploma para exercer a profissão de jornalista. Cansada, ainda me dei ao luxo de escrever um email para o supremo. Com total repúdio, deixo claro neste blog que JAMAIS PERDEREI O ORGULHO DE SER JORNALISTA, em breve com diploma. Também volto os meus protestos a alguns profissionais que, via de regra, estão "boiando" no assunto. Não há como fechar os olhos para essa PALHAÇADA.
Por isso, hoje de manhã entrei em contato com a presidente do DA da Comunicação Social, a Ana Flávia. Tive a ideia de fazer uma manifestação para demonstrar a extrema falta de RESPEITO com que nos trataram. Na segunda-feira iremos debater as ações e, em breve, teremos novidades para todos. Antes de mais nada precisamos nos unir, mostrar a nossa força. Concordo plenamente com as palavras do professor Demétrio e ainda digo mais: Apesar de vivermos em um país cheio de maravilhas e belezas naturais, dono de uma diversidade cultural invejável, o lado podre existente em todo o território nacional me anoja. MINHA TOTAL REPROVAÇÃO vai ainda à classe política da banda negra, ou seja, OS CORRUPTOS E VENDIDOS DE BRASÍLIA.
Tenho vergonha de ter nascido em um país como o Brasil. Patriotismo serve somente para desfiles de 7 de setembro. E eu não tenho tempo de vangloriar uma pátria que nos tira o direito justo de termos uma profissão digna e regulamentada.
E tenho dito
espero que mais colegas se manifestem
Emanuelle

Não tá morto quem luta, quem peleia

Caros, caras, por meio deste post torno pública a promessa que fiz ontem na abertura de uma de minhas aulas assim que soube da, digamos assim, decisão do STF: se, ao longo destas quase três décadas de profissão, nunca quis ser e nunca fui outra coisa senão jornalista, basicamente por amar sobremaneira esta profissão, daqui para a frente buscarei sê-lo com ainda mais propriedade.

Isso para que fique cada vez mais claro, aos que estão chegando e que por mim passarem, que encontram-se diante de uma profissão com pelo menos 300 anos de tradição, que tem corpo docente qualificado, pesquisa, publicação nacional e internacional relevantes, representatividade científica e institucional (refiro-me à SBPJor, ao FNPJ, Fenaj, sindicatos etc.), e que é, portanto, digna de respeito.

Disse a meus alunos, ainda, - e o faço novamente agora -, que mais do que se perguntar se precisam ou não de formação universitária para exercer o jornalismo daqui para a frente, eles devem exigir que seus cursos de jornalismo, à revelia da instituição ou instância, lhes ofereçam cada vez mais qualidade; que seus professores estejam cada vez mais habilitados a exercer a docência em jornalismo, para que, por meio deste conhecimento, eles, os aprendizes, tenham cada vez mais condições de se tornarem jornalistas, distinguindo-se, por seu conhecimento e vontade, dos que não estão habilitados ao exercício da profissão, por não conhecê-la, e reiterando, assim, a diferença que o STF não soube compreender.

Como diz o verso daquela música cujo autor não lembro, “não tá morto quem luta; quem peleia”. Então é preciso lutar ainda mais, brigar ainda mais. É nisso que acredito. É isso que irei fazer. O conhecimento, uma vez mais, será a minha arma.

Um grande abraço a todos.

17 de junho de 2009











Curiosa.com

Gente, eu estou megaaaa curiosa para ver a Exceção pronta! A fonte da minha matéria também já falou que quer um exemplar porque a curiosidade também está grande.
Ainda bem que vai vir logo da gráfica e assim como eu e minha fonte, todos matarão a curiosidade.

Abs,
Patrícia

16 de junho de 2009

Jornalismo de Revista

Matriculei-me na disciplina Jornalismo de Revista com medo. Sim medo gente. Ouvia que o Demétrio era "boca braba" e blá, blá, blá. Nas primeiras aulas eu nem piscava. Ham, e o medo!?! Que coisa não???

No decorrer das aulas, fui percebendo que o professor era um ser humano como nós, e uma pessoa bacana. Da mesma forma como "descobri" uma amiga maravilhosa na Mari (tadinha, nunca mais vai querer que eu sente perto dela, pois sempre vou ver qdo ligam pra ela) hihihihihihih, adoroooooo. Um obrigada a Manú também, me socorrendo na falta de pautas.... um OBRIGADA para todos!!!!

*Janta na casa da Ana??? Sem filmadoras né????

Boa semana.
Abraçossssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss.

Duas palavras: MUITO OBRIGADA

Sai do lab de foto ontem emocionada...chorei...não sei se foi de alegria ou de tristeza. Sentei no banco do carro e voltei ao tempo. Aquele tempo em que iniciei minha faculdade...lá em 2002. E posso dizer que esta foi a primeira disciplina em que me emocionei ao chegar ao fim do semestre. Mas aquela emoção que brota do fundo do coração. Preciso dizer a vocês colegas, que valeu a pena tudo que vivemos juntos nesse semestre. Valeram os momentos de tensão, desespero, alegria e agora a comemoração. Valeu o esforço e dedicação de todos nós. Valeu pelo companheirismo, alguns muito mais que outros, mas o que vale é que todos fizeram acontecer.
Preciso ainda dizer que este foi um semestre diferente, afinal a disciplina Jornalismo de revista me marcou e tenho certeza que vou levar para a vida todos os momentos que vivi com vocês amigos, colegas e professor. Obrigada pela força. Aqueles que vão se formar logo, quero estar lá comemorando com vocês...porque ainda vou demorar um pouco para chegar lá. Mas um dia, chego. Muito, mas muito obrigada por tudo.
Abraços. Ate +.

Uma conversa produtiva

Após as engraçadas gravações do teleweb...
21h50min de segunda-feira, bancos do bloco da Comunicação Social. As folhas da grande árvore bem ao centro insistiam em cair e a chuva fina também. Mesmo assim não nos intimidamos. O professor Demétrio fumava um cachimbo. Eu e a Rozana, cigarros (filtro branco e vermelho respectivamente). O momento era apropriado para uma conversa franca, verdadeira. A avaliação para a revista Exceção foi inevitável. Parece que um filme se apropriou de nossa memória e o passado se fez presente. Lembramos de todos os colegas nas primeiras aulas: cabeças baixas, preocupados com pautas, textos, fotos...Um cenário bem diferente tomou conta do ânimo de todos neste início de semana. O que muitos descreveriam como "Sessão Nostalgia", para nós foi uma nova maneira de manter a esperança. Sim, esperança! Vontade de gritar aos quatro cantos que somos JORNALISTAS - com J maiúsculo-. Afinal, quem nos deu essa definição (parafraseada por mim hehe) foi o próprio professor Demétrio. O que ele disse, por certo, jamais sairá de minha mente: "Gurias, eu sou jornalista e sei reconhecer, pela experiência, um grande profissional...". Sendo assim, já estou satisfeita com o semestre. A nota, ahh...isso é um detalhe, pois o que eu queria já consegui.
Obrigada Demétrio, por tudo.
Obrigada amigos/colegas e não colegas/amigos

Ps: Festa na próxima segunda-feira. Mais postagens sobre o assunto no decorrer da semana. Vamos comemorar galera!
Emanuelle

15 de junho de 2009

Affff....

Gente.... já tô com vergonha agora..... ahahahaha...quero só ver o que vai sair nessa gravação!!

Ahh... só fiquei muito triste hoje pela manhã quando perguntei pra Aline como tinha ficado a decisão final na aula passada (que saí uns 10 minutos antes) e ela me disse que a música foi CORTADA! Que triste...ia ficar "tão bonito".... assim como o fio 0,75..... ahahahahaha

Mas... vamos lá.... a noite de hoje nos espera!!

12 de junho de 2009

Eta colegas despachados

Pelo jeito está tudo pronto para segunda-feira.
Pensando, "cá com meus botões", nesse friozinho, acho que vou ter que tomar um vinho antes de ir na aula...sou "acanhada", não sei imitar...mas juro que vou me esforçar o máximo. Talvez vendo vocês (os que são mais descontraídos) vou entrar no embalo. O que vale é a integração, que não deixa de ser um aprendizado.
Um abraço.
Até +.

10 de junho de 2009

Roteiro by Rozana

O roteiro (pré) da Rô, diga-se de passagem, está o Ó do BOROGODÓ kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Ainda bem que eu estava na aula né tchê! Senão ficava que nem M_r_d_a boiando no Mar Morto....kkkkkkkkkkkkkk
hahahahahahahahahahaha

Estrutura "quase" pronta

Vale lembrar que a estrutura para a gravação está praticamente pronta. Faltam alguns pequenos detalhes e a produção em si. Semana que vem será a hora de "soltar a franga" (leia-se: o lado artístico/jornalístico). Necessitamos - e bem - mostrar a cara da Exceção 2009. Sendo assim, precisamos apresentar o melhor de nós mesmos.
: )

Ensaios...

Antes que eu me esqueça, preciso mandar o recado da edição-executiva: Em primeiro lugar, não se trata de um tele formal. Decidimos, em aula, que faremos algo "mesclado", ou seja, comédia e drama. Sendo assim, todos precisam participar e mostrar empenho, principalmente nas "encenações" (imitadores). Portanto, bem mais que estudantes de jornalismo, temos a necessidade de entrar no campo das artes cênicas (performances). Também aproveito a oportunidade para reeditar o "mantra" que pairou durante a Exceção: "Com carta branca do nosso editor-chefe, vamos cortar as anomalias, aparar as arestas...enfim...NADA PASSA PELO CRIVO CRÍTICO exigido pelo próprio Curso de Comunicação Social. Portanto pessoal, mãos à obra e, ainda, nunca é tarde para lembrar (sem apelo à metáfora): esperamos um trabalho digno de "quase" ou totalmente profissionais.
: )

9 de junho de 2009

Aspectos práticos

Colegas, para o teleweb da próxima segunda-feira, já está reservado ao menos um câmera para nos auxiliar. Conversei com o Élio e, embora tenha uma disciplina prática que utiliza a TV nesse dia, podemos gravar sempre que um deles tiver disponível.

Sei que a Rozana também reservou uma câmera. Assim, está tudo praticamente pronto para gravarmos!

8 de junho de 2009

Teleweb, véi!

Como diria a Manu, é o nosso teleweb, véi! Abaixo as coisas que decidimos na aula de hoje:

Teleweb:
Editor-executivo: Manu/Rozana
Produção: Patrícia/Letícia
Repórteres: Aline/Tiago/Wesley
Apresentação: Ana/Urgel

Inicia com texto "Discipiplina de Jornalismo de Revista - 1º semestre / 1999". Apresentador sério, com o apresentador bem formal, de terno e gravata, falando sobre os objetivos da discipiplina.

Corta para os imitadores. Volta pro apresentador espantado, de boca aberta, e volta a falar. Volta cada um falando sobre o processo de produção da Exceção, como foi a disciplina para si. Mostra erros de gravação e making of. Encerra com o Demétrio entrando na sala e falando "Relaxa galera".

Urgel (apresentador) faz os textos que vai ler.

Nosso teleweb

Ôôôô, povo!

As idéias estão pipocando na aula! Nosso primeiro teleweb será gravado na próxima semana (dia 15). Será algo suuuper informal e com certeza muito divertido.

Vamos nos apresentar aos leitores de um jeito bem diferente... Cada pessoa vai apresentar outro, mostrando uma característica, imitando-o.. Enfim! Tirando sarro mesmo.

Então, não faltem à próxima aula!

EQUIPE

Editor-chefe: Manu/Rozana
Produção: Patrícia/Letícia
Repórter: Aline/Tiago/Wesley
Apresentação: Ana Flávia/ Urgel

Quando uma mulher disser:

1 - "Certo": Esta é a palavra que as mulheres usam para encerrar uma discussão quando elas estão certas e você precisa se calar.

2 - "5 minutos": Se ela está se arrumando significa meia hora. "5 minutos" só são cinco minutos se esse for o prazo que ela lhe deu para ver o futebol antes de ajudar nas tarefas domésticas.

3 - "Nada!": Esta é a calmaria antes da tempestade. Significa que ALGO está acontecendo e que você deve ficar atento. Discussões que começam em "Nada", normalmente terminam em "Certo".

4 - "Você é quem sabe": É um desafio, não uma permissão. Ela está te desafiando e, nessa hora, você tem que saber o que ela quer...e não diga que também não sabe! Fique esperto, é nestas horas que ela vai te lembrar "daquela tua amiga" e jogar na cara coisas sinistras que somente ela sabe de onde inventa tanta coisa besta!

5 - Suspiro ALTO: Não é realmente uma expressão. É uma declaração não-verbal que frequentemente confunde os homens. Um suspiro alto significa que ela pensa que você é um idiota e está imaginando porque está perdendo tempo parada ali discutindo com você sobre "Nada".

6 - "Tudo bem!": Uma das mais perigosas expressões ditas por uma mulher. "Tudo bem" significa que ela quer pensar muito bem antes de decidir como e quando você vai pagar por sua mancada.

7 - "Obrigada": Uma mulher está agradecendo, não questione, nem desmaie. Apenas diga "por nada". (Mas, atenção: se ela disser "MUITO obrigada" é PURO SARCASMO e ela não está agradecendo por coisa nenhuma. Nesse caso, NÃO diga "por nada". Isso apenas provocará o "Esquece").

8 - "Esquece!": É uma mulher dizendo "Cale-se, não diga mais nada!!!"

9 - "Deixa pra lá ... EU resolvo!": Outra expressão perigosa, significando que ela já disse várias vezes a você para fazer algo que você não fez e, agora, está fazendo ela mesma. Isso resultará no homem perguntando "o que aconteceu?". Para a resposta da mulher, consulte o item 3.

10 - "Precisamos conversar!": Fedeu!!! Você está a 30 segundos de levar um pé na bunda, ou ela falar em casamento!!!

11 - "Sabe, eu estive pensando...": Esta expressão até parece inofensiva, mas usualmente precede a chegada dos Quatro Cavaleiros do Apocalipse... Ai lá vem assunto de casamento, ouuuu la vem ela lhe pedir algo...


12 - "Era quem no telefone ?" Cara, de verdade, agora F E R R OU.... Mesmo que for teu chefe implorando que voce vá trabalhar, ela vai encrencar, e achar na cabeça dela alguma amiga tua e falar que "aquela piranha esta dando em cima de voce".... Isto deve ser algum problema sério que todas as mulheres tem"
Mas cuidado!!! Se for realmente uma mulher.... Descanse em Paz!


Que coisa não!!!

6 de junho de 2009

Amanhecer


*Chico Xavier
Quero nascer de novo cada dia que nasce.
Quero ser outra vez novo, puro, cristalino.
Quero lavar-me, cada manhã, do homem velho, da poeira velha,das palavras gastas, dos gestos rituais.
Quero reviver a primeira manhã da criação, o primeiro abrir dos olhos para a vida.
Quero que cada manhã, a alma desabroche do sono como a rosa do botão, e surja, como a aurora do oceano, ao sorriso dos teus lábios, ao gesto de tua mão.
Quero me engrinaldar para a festa renovada com que cada dia nos convidas e desdobrar as asas como a águia em demanda do sol.
Quero crer, a cada nova aurora, que esta é a definitiva, a do encontro com a felicidade, a da permanência assegurada, a de teu sim definitivo.
Bom findi p/ todos.
Abraços.

Mais algumas fotinhos...


5 de junho de 2009

Diálogos da Comunicação com música

Na próxima terça, 9, às 14h30, acontece mais uma edição do projeto Diálogos da Comunicação. Para esta ocasião está agendada a participação do professor Gerson Rios Leme, intitulada "Música e tecnologia". Gerson examina as transformações que estão ocorrendo nos campos da música associada a tecnologia gerando novas possibilidades e contextos artísticos.

Sua fala é produto da sua dissertação de mestrado associada a pesquisas nos campos da música, da tecnologia, da educação e comunicação social. Constrói um panorama acerca dos modos como lidamos com recursos tecnológicos em variados campos do saber, bem como destaca pontos importantes em relação ao consumo de bens tecnológicos, além de discutir a base da construção tecnológica dos indivíduos no contexto atual.

O Diálogos da Comunicação é uma promoção do Departamento de Comunicação Social. O encontro com o professor Gerson acontece dia 09 de junho, às 14h30min, na sala 1507.

3 de junho de 2009

Encontros/Saideira

Muito bom o encontros com o professor/saideira realizado na noite de ontem(02/06). Mesmo sentada no chão durante aproximadamente duas horas, o tempo passou rápido, afinal o assunto estava interessante, este foi o diferencial. Ouvir o professor Rui Carlos Osterman, um homem tranqüilo (aparentemente) e que me encantou pela forma que conduziu a conversa, perguntava...deixava o David pensar e soltar o verbo. Sem fazer intervenções sem sentido que muitos profissionais fazem. E David Coimbra, com seu jeito sátiro, ao meu ver "safadinho", pelo menos me respondeu a minha curiosidade. Porque na coluna que escreve na Zero Hora, quase sempre tem desenho de mulher com saliências exageradas em algumas partes do corpo? Ele me respondeu: "porque gosta das mulheres".
Aprendemos muito ouvindo pessoas que já possuem anos de experiência, trazendo informações, fatos importantes e tem mais uma: concluo dizendo que para ser um bom jornalista, o mais importante é: exercitar a leitura, a escrita, a fala e saber ouvir, disso estou convencida.
Um abraço a todos.

1 de junho de 2009

Alguns de nossos colegas são gênios!!!

Galera, olha só o que foi publicado num jornal qualquer de interior...



E, alguns dias depois, a retratação...


É amigo... Acontece!!!!


Faltam apenas alguns dias... A Exceção tá na forma.

CAMINHADA

“Se eu puder caminhar observando a amplidão do horizonte...
Não terei pressa, andarei mesmo assim com passos largos...
Terei a minha frente o infinito e poderei construir minha passagem...
Se eu vejo a amplidão, me vejo sem limites...
Não existirá em meu trajeto obstáculos intransponíveis...
Mas preciso da amplidão como espelho...
Na verdade não quero o fim da caminhada, não quero um objetivo a minha frente como uma marca de chegada...
Quero a trilha e dela sentir sede de conquista-la para todo o sempre...
Se levantar os olhos e ver esta amplidão...
Estarei trilhando...
Passo a passo...
Estarei a caminho...
E com um horizonte tão imenso a minha frente, não terei retornos, não vou questionar o que passou...
Apenas irei...
Se eu olhar para o lado e você estiver lá...
Estarei sorrindo, e com a certeza de que emoções vividas não são vãs...
Te oferecerei a minha mão e poderemos ir juntos... Passo a passo...
Em frente, com o mundo todo se abrindo a cada movimento e sem nunca querer chegar ao fim....
Você não detém a perfeição...
Não gosto da perfeição, mas o que existe em você, o que sinto...
O que "vejo" faz com que eu deseje olhar a amplidão, e queira caminhar em sua direção...”

ObRiGaDaAaA

Mari querida... adorei ser sua colega este semestre novamente, és uma pessoa muito querida. Ana Paula... alguns anos que nos conhecemos não é mesmo? Agradeço por você ser essa amiga iper show que és (que tal torcer p/ Grêmio???)
Manú, já nos conhecíamos um tenpinho, mas foi neste semestre que tive a oportunidade de conhecer a super colega e amiga que és, obrigada!
Ana Flávia, você também és uma colega show de bola...
Gente, agradeço por TODOSSSSS mesmo, vocês são SHOWW!!!!

Kússias :)

Momentos valiosos

Lembro muito bem o primeiro dia de aula...o professor sério, eu fiquei só observando. Alhiás, sou observadora. Minha cabeça estava "tonta" e deixei aquela aula preocupada, porém na certeza de que alí estavam oportunidades de aprender. As semanas foram passando e "voaram", hoje estamos no último mês do semestre. Preciso dizer ao Professor Demétrio: muito obrigada, você é um exemplo de profissional, afinal "manja" e conhece o conteúdo da disciplina.
Em resumo conheci mais pessoas, aprendi um pouco mais sobre como podemos ser um jornalista melhor, um jornalista acima de tudo humano.
Aproveitar a dizer para a Manu que foi você que numa noite dessas me disse: "vai dar tudo certo, acredita em ti". Atitudes positivas de colegas assim nos fazem acreditar que existem pessoas parceiras. A você Rozana que deve ter se decepcionado com o primeiro texto, mas se não fossem vocês duas...Valeu Leticia que numa manhã dessas acordou cedo e me acompanhou a ver a vida de chapa. A vocês todos que fizeram com que a revista Exceção se concretizasse, a cima de tudo bombando. Sim, tenho certeza que vai ser um sucesso.
Um abraço a todos e até +.

Detalhe

Um detalhe muito importante que, por lapso de memória, esqueci de dizer no post abaixo: Só elogio quem realmente merece, pois ser "baba-ovo" não é a minha praia. Aliás, estendo meus agradecimentos ao professor Demétrio Soster, que sempre nos cobrou o "supra sumo" de nossa capacidade. Ele tem feeling, podem crer...

Opaaaaa...

O frio chegou, ainda bem...vou para a aula congelada, mas feliz da vida. Vejo que tudo está no caminho certo e a Exceção, se Deus quiser, e que assim seja, está montadinha...lindinha....Percebo o quanto a palavra UNIÃO tem peso em nossas vidas, pois foi a partir dela que teremos uma revista de qualidade. Na mesma linha de pensamento, queria agradecer a oportunidade de ter trabalhado com todos os colegas. Em especial, com a amigona Rozana. Temos "sintonia" e acreditamos "quase" nas mesmas coisas. CORTAAAA, CORTAAAAAA...Nosso mantra kkkkkk...Rô, minha amiga, uso o blog hoje para deixar claro que acredito e muito na sua competência como jornalista. Conte comigo sempre...
Abraço a todos e ÓTIMA SEMANA

30 de maio de 2009

:)

Eu danadinha??? Mas o que é issoMari??? Naim naim naim..... só por causa do e-mail do "Raj"???? A Aline e a Ana tbm gostaram, hihihihihihi.

Colegas, ñ esqueçam de levar um "agradinho" p/ Demétrio: maçã, balas Flopi ou barra de cereal, mas light.... huahuahuahua. Brincadeirinha :)

Bom findi para todos!!

Abraços!!

27 de maio de 2009

Anjos e Demônios

Eu já tinha lido o livro do Dan Brown e comentado com várias pessoas que este superava o Código da Vinci, não menos importante e o qual também recomendo sem dúvidas a quem procura uma boa leitura. Mas Anjos e Demônios tem mais ação, provoca mais ansiedade de se chegar ao final, e o filme não ficou pra trás.O filme baseado no livro Código da Vinci, decepcionou alguns espectadores e também a mim, por esperar uma mega produção e se deparar com um filme que não conseguia transmitir o prazer alcançado na leitura do livro. Porém, Anjos e Demônios, a meu ver, superou espectativas! Conseguiram passar para a tela do cinema tudo que se imaginava enquanto se lia o livro. Dessa vez deu certo, e arrisco, até além das espectativas de muitos. Saí do cinema pensando: Nossa, PERFEITO! Filme magnífico, opinião vinda de quem geralmente não tem paciência de ver um filme até o final, a não ser que ele seja realmente bom. Nem vi o tempo passar, fiquei realmente presa ao que era exibido na tela. Fica ai a dica.

26 de maio de 2009

A batalha está quase vencida...e precisa ser comemorada!

O quêeee??? a Letícia danadinha? capaz.... só baixou o Willmutt (com 2 "d" xunto no final) pq ficou emocionada com o repertório trazido à tona pela Aline, que se emocionou ao ver as fotos do .... (bah, eu disse que não assistia novela... Arebaba!!!) hehehehehe... mas depois que vi as fotos até entendi o pq da animação de ambas... ahahaha....

mas não deixando as brincadeiras à parte.... o Demétrio nos lançou uma óteeemaaa idéia.... não poderemos deixar de "bebemorar" nosso esforço pra que a revista saísse... e como ela está quase aí, já podemos ir programando alguma coisa..... por livre e espontânea pressão (e diga-se de passagem culpa da Aline que desenterrou fatos do início do curso.... digo desenterrou pq já me considero patrimônio..hehe) coloquei minha casa à disposição para este "encontro"... mas o melhor vem agora: o nosso querido professor disse que UMA CAIXA É POR CONTA DELE!!!! Então pessoal, não vamos perder essa oportunidade de darmos mais algumas boas risadas e vamos organizar esse churras!!!

Que satisfação...

É gratificante chegar na aula e viver momentos descontraídos e aliviados. Concordo contigo Wesley, se tem algo que vou levar para a vida são "as chamadas rispidas do editor chefe", essas sim valeram para sempre. Valeu professor, valeu colegas...vocês fizeram com que eu me sentisse mais jovem, alhias uma verdadeira adolescente...no meio dessa turma. Meus filhos que estranham quando chego em casa e digo: "e aí galera, tudo bem por aqui?". Eles me olham e perguntam? Pirô, mãe? Não, isso é reflexo das aulas de jornalismo de revista, onde trabalhamos muito, mas o bom humor está presente.
É maravilhoso ter colegas e um professor parceiro. Um professor que sabe quando é hora de "puxar' a turma, mas acima de tudo é humano e nos entende.
Letícia, você estava danadinha ontem, heim...gostei do Willmuth...
Um abraço forte a todos.

Vai bombaaar

O clima de descontração predomina... Brincadeiras, sorrisos e muita sacanagem (no bom sentido, claro) dão o tom.
Mas isso se explica, afinal a exceção está por um triz! Em poucos dias estará bombando nas salas e corredores de toda a Unisc. E isso quer dizer que o nosso suor, nossas discussões, diferenças e as ríspidas 'mijadas' do editor chefe foram válidas.
E, dentro de poucos dias, poderemos nos orgulhar, estufar o peito e dizer: aí está, esse é o resultado do trabalho de um semestre forte, onde muitos de nós sentimos pela primeira vez a pressão, a ansiedade, o sentimento de que não vai dar tempo e, por fim, a satisfação da revista impressa.
Vai dar certo, e será um grande trabalho, o trabalho de uma equipe que, com certeza, não será mais a mesma após a conclusão da disciplina de 'Jornalismo de Revista'.

25 de maio de 2009

Intervalos válidos

Dentre muitas decisões tomadas hoje
em relação a nossa revista
Ver nosso projeto tornando-se sólido
é muito gratificante...
No entanto "brincar", mesmo que você seja gente "grande"
Se faz preciso

Foi isso que fizemos
Recordamos momentos, cantamos músicas um tanto, como diria, inusitadas
Sem contar que além de cantar dançávamos as canções...

Foi bom
é sempre gostoso relembrar

e será muito gostoso ver nossa revista pronta também

De td um pouco

Quem faltou perdeu: Aline, Ana Paula e eu relembrando músicas: "olha o piu piu ô... ohhhh milaaaaaaaa, mil e uma noites com você.... eu imitando o Wilmutt: Néni, pega as polachas pra oferece pra vicita, as pintadas tos 2 latos pq os tende tbm costam de toce... e assim vai... mas o Wesley deu bastante risada, deve ter gostado. Já a Larissa, nem um sorriso. Vá saber....

Saideira e Encontros com o professor juntos

Na próxima semana, os projetos Saideira (do Curso de Comunicação Social da Unisc) e Encontros com o Professor (do jornalista Ruy Carlos Ostermann) se unem mais uma vez para oportunizar o debate cultural e um excelente exemplo de como se faz jornalismo. No dia 2, às 19h30min, no Espaço Camarim, Ostermann entrevista o também jornalista David Coimbra. O evento faz parte da 22º Feira do Livro de Santa Cruz do Sul. Após a entrevista, que permite interação com o público, acontece uma sessão de autógrafos na Livraria e Cafeteria Iluminura. Ambas as atividades são abertas e gratuitas.

Esse é o segundo ano que o Encontros com o Professor e o Saideira são realizados em conjunto, em Santa Cruz do Sul. Em 2008, o projeto coordenado pela empresa Signi e viabilizado por meio da Lei de Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Fiat e do Banrisul, trouxe como entrevistado o cineasta Beto Souza. O Encontros tem Ostermann como a estrela que comanda um talk show quinzenal em Porto Alegre e com edições itinerantes pelo interior do Estado. O projeto é desenvolvido há cinco anos e busca dinamizar as discussões culturais no Rio Grande do Sul, oportunizando entrevistas com nomes que fazem parte desse cenário cultural. O Saideira, por sua vez, existe há três anos e é focado em debates sobre Comunicação. As propostas se assemelham porque, embora tragam discussões que são também acadêmicas, acontecem em locais descontraídos, permitem a presença da comunidade em geral e, especialmente, a interação do público com os convidados.

No Encontros/Saideira da próxima semana, Ostermann – o Professor, jornalista há 52 anos, filósofo, foi deputado e secretário estadual de Educação, com vários livros publicados - deverá entrevistar outro “entrevistador”. David Coimbra, 47 anos, é jornalista há 25 anos. Trabalhou em mais de 10 redações de jornal, rádio e Tv e atualmente é editor executivo de Esportes do jornal Zero Hora. Ainda colunista do jornal, comentarista da TVCOM, integrante do Programa Pretinho Básico, da rádio Atlântida, e do Café TVCOM . Escreveu 13 livros e recebeu 10 prêmios da Associação Riograndense de Imprensa, um Prêmio Esso Regional Sul, um Prêmio Açorianos de Literatura, entre outros.

Na sessão de autógrafos, os jornalistas/autores estarão à disposição do público para autografarem suas obras recentes. A promoção é conjunta do curso de Comunicação Social/Unisc, Sesc, Livraria e Cafeteria Iluminura e projeto Encontros com o Professor. O acesso às duas atividades será determinado pela ordem de chegada. Mais informações, pelos sites http://hipermidia.unisc.br/feiradolivro e www.encontroscomoprofessor.com.br .

Contato para entrevistas: 9806-4427 (Carla) ou 9231-1985 (Flávia).

Pensamento

"Seu lugar não é na platéia, mas no palco brilhando na sua inteligência, alegrando-se com suas vitórias, aprendendo com suas derrotas, e treinando a cada dia para ser... O autor da sua história, o líder de si mesmo". (Augusto Cury)
Esse pensamento dedico a vocês meus queridos colegas...
Uma boa semana.

Carta de um beija-flor

Do alto desta varanda vejo um mar de pedras. Entre as construções cuidadosamente traçadas pela mão humana, busco uma para me refugiar desta prisão. Será que um beija-flor ainda pode encontrar, em inteligente e dócil atitude, simples abrigo? Que pergunta idiota se bem sei que com o progresso veio também a crueldade. Tenho saudades do tempo em que meu alimento não era somente o néctar das flores, mas o carinho desinteressado de um humano que não pensou somente na minha beleza. Sou um pássaro experiente e, mesmo assim, não consigo lembrar de um homem com o olhar tão sonhador e fisionomia tão dócil quanto Augusto Ruschi. Sim, o conheci e fomos amigos. Para as pessoas de mente pequena essa comunicação entre os mundos é impossível, mas para aqueles que olham para uma flor, um peixe, um pássaro ou até mesmo para si mesmos e, despidos de dogmas, acreditam na igualdade perante Deus, tudo é passivo de realização. Basta sentir, ouvir, cheirar, apreciar e principalmente se deixar levar pela emoção da descoberta.
Na Estação Biológica de Santa Lúcia, local onde Augusto está enterrado, construi muitos de meus ninhos. Acreditei que quem nascesse naquele lugar seria protegido por sua alma, e, como um presente, durante 21 anos, muitos filhos meus sairam de lá para encantar o resto do mundo.
Voando sem paragens eu não tinha conhecimento sobre a vida do nobre Augusto, mas num dia nublado, por acaso, vi um jovem lendo um dos 450 trabalhos científicos desenvolvidos por meu defensor mais feroz. Li e confesso que chorei quando percebi que um deles tinha o título: “Beija-Flores do Espírito Santo”. Essa passagem não consigo esquecer e de maneira tímida, depois deste fato, sempre entrava furtivamente na biblioteca antiga em busca de mais conhecimento sobre ele. Era a minha maneira de aproximação saudosa.
Lembro-me bem quando aquele homem me pegou em suas mãos e com os olhos arregalados me falou para não ter medo. A princípio pensei na morte. Quem iria chorar por um beija-flor? Mas foi diferente. Logo depois ele me soltou, entretanto, mesmo voando longe tive vontade de voltar. Nem com minha mãe tive esse contato de modo tão singelo e amoroso. Por isso, voltava todos os dias e percebia que Augusto não fez isso somente comigo, mas com boa parte das espécies animais e vegetais. Eu, como bom animal irracional, não acreditava que os superiores racionais seres humanos dessem valor. Um engano bom de se ter, pois ele realmente se importava.
Ruschi nos compreendia mas os outros não o entendiam, tanto que, certa feita, isso no ano de 1977, escutei de um outro pássaro a notícia que ele tinha desafiado o governador do estado do Espírito Santo em nosso nome. A floresta toda comentou e se exaltou com este ato. Recordo que até uma orquídea mudou de cor simbolizando a alegria orgulhosa do momento.
Porém para divulgar seu árduo trabalho de preservação da natureza ele precisava de amigos, pois conforme o dito popular: “Uma andorinha só não faz verão”, foi então que jornalistas como Chatô entraram em cena e fizeram com que as idéias e teorias de Augusto fossem conhecidas em todo o mundo. Não somente conhecidas, pois os estudos foram também respeitados. Com isso os ventos sopraram e hoje posso afirmar com a convicção da liberdade da qual já desfrutei, que ele estava certo.
Há alguns dias, um senhor foleava seu jornal atentamente no banco da praça. O calor que fazia em pleno outono prenunciava que algo estava errado. Curioso, bati as asas o mais rápido que podia sem ser evasivo, cheguei perto da primeira página e vi a manchete que afirmava a caótica situação do planeta. Fiquei triste, pois notei que mesmo tendo sido considerado um dos 1000 grandes homens que construíram o saber e as idéias do século XX e, sem dúvida o principal personagem da defesa ecológica nacional, Augusto Ruschi teve poucos seguidores.
Falo agora de minha condição atual: Estou preso em uma gaiola, fechado para a vida e também para o mundo. Fui posto aqui por um homem do qual nem sei o nome. Ou sei, mas não quero lembrar. Perdi meu defensor e para escrever esta carta tive que me tornar um quase humano. Fiz das minhas asas mãos para poder escrever. Não quero ser homem, espero apenas o respeito, todos precisam saber que não sou somente um pássaro, mas sim um mensageiro da natureza que ousa vivenciar tempos de liberdade e consciência. Sim, é possível sobreviver sem agredir. Se todos tivessem ouvido o que Augusto Ruschi disse, certamente eu poderia estar vivendo minha vida como ser irracional.
As injustiças me deixam triste mas não podem apagar as lembranças. Irmão Augusto onde você está? me ajude por favor!

Triste segunda-feira

Sim, eu estou triste. Seria bem mais cômodo fingir que estou feliz, mas a realidade me puxa para um mundo em que a imaginação não tem mais espaço definido. O blog da Exceção, pelo menos hoje, me servirá como um meio de desabafo. Questões de "coração", como poderiam dizer os psicólogos. Por outro lado, e não poderia ser diferente, me sinto feliz em ver a revista em sua reta final. Trabalhei (trabalhamos) muito para que ela fosse publicada. Com a Exceção aprendi muito, principalmente a superar obstáculos. Barreiras que antes me pareciam altas demais se tornaram pequenos muros. Neste espírito, vou lutar para abandonar o meu próprio "mito da caverna". E até lá vou simplesmente deixar de pensar em qualquer tipo de problema. Queria apenas voltar a ser criança. Brincar nas intermináveis tardes de domingo, explorar as florestas nos arredores da minha casa... sonhar que um dia seria uma boa profissional...sonhar em encontrar um amor de verdade. Enfim, ver a felicidade nos pequenos/grandes detalhes que a vida nos proporciona. Era isso, desculpem o tom quase "anestésico"...
Boa semana a todos,
fiquem com Deus

22 de maio de 2009

O pior passou...

É pessoal.. Agora o pior já passou. Com isso, é claro que não estou querendo dizer que produzir a revista é ruim. Muito pelo contrário: é uma excelente experiência! Mas falo que o pior já passou no sentido de que a maior parte do trabalho está feita.
As matérias já estão na diagramação (e boa parte já está diagramada), a grande maioria dos textos já foram revisados pela turma... Enfim, agora resta fazer os últimos retoques.
No início, admito que estava com medo de não conseguirmos fazer uma Exceção tão boa quanto a última. Mas agora, na reta final, vejo que está ficando ótima.
Por enquanto, resta dizer parabéns a todos nós pelo bom trabalho. E não se esqueçam: segunda veremos as páginas diagramadas. Então, não faltem!!

Abração a todos!

21 de maio de 2009

Imagens valiosas

Olá colegas.
Que bacana as fotos da aula de segunda. Momentos como esses não tem preço. São aulas únicas e que valem ouro. Pena que não pude estar com vocês.
Valeu Letícia pelo registro. Muito boommmmmmmmm!
Um abraço.

19 de maio de 2009

Prefeito bergamoteiro

Quem pensa que Arroio do Meio só tem bocha se engana. Minha cidade também tem o prefeito mais desinibido - pelo menos que eu conheço.

Eu precisava falar com o cara - Sidnei Eckert o nome dele - pra terminar duas matérias aqui. E nada de conseguir contato por telefone.

Agora a pouco estava debulhando uma bergamota, daquelas fedidas de casca grossa, na cozinha do jornal, quando ele apareceu na porta do recinto.

O cara é todo austero. Fala com voz entonada, sempre sério. Pensei no constrangimento da situação, lavei bem minhas mãos, catei o bloquinho e o convidei para conversarmos na sala de reuniões.

Mas o Sidnei preferiu ficar na cozinha. Puxou o lixinho, e comeu pelo menos umas cinco bergamotas, sem se preocupar com a catinga que se entranhou no seu blazer bem alinhado. Ficou quase uma hora lá.

Imagine se fosse época de campanha.

18 de maio de 2009

Apenas palavras vagas

Sem precaução
Sem destino
Insolução dissolúvel.

Medo
Tristeza
Insatisfação,
a solidão!!

Seleciona e apaga

Vida difícil essa... Pela quarta vez, creio, me é solicitado que eu encurte o texto para a opinião. Novamente, munida da tecla backspace, seleciono e apago palavras a mais, frases, e, a maior dor, parágrafos inteiros.

Releio, reviso e vejo que o meu texto definitivamente não é mais o que era no mês passado. A Pandorinha, além da sua depressão, de fato está me dando dor de cabeça.

17 de maio de 2009

Enfim, o frio...

Finalmente o inverno começou a dar os ares pelo Rio Grande do Sul. Eu o esperava com ansiedade, pois confesso que não estava mais suportando os dias quentes, agora, só alegria!
É tempo de lareira, vinhos, massas, filmes, cobertores, banhos demorados, reunir mais os amigos, corações mais quentes... tudo fica melhor, e até os dias nublados ganham um sentido diferente, as paisagens ficam mais bonitas, as pessoas...é mais fácil dormir, comer, realizar as coisas básicas para a manutenção da vida.
Essa preferência já ocasionou diversas discussões com o povo apaixonado pelo verão, mas eu me sinto muitissimo melhor no inverno, no sentido mais amplo da palavra. Está certo que o verão também tem lá os seus atrativos, mas o frio...aaah o frio! Muito mais aconchegante!

14 de maio de 2009

Que venha 2010...

Os jornalistas amam notícias. É natural que seja assim para os que se dedicam ao trabalho de escavar a vida privada e torná-la pública. Mas o ano de 2009 está se superando, pelo menos até o final deste primeiro semestre. Ao relembrar os seis primeiros meses aqui no Centro Serra e também no Brasil, temos tragédias de todo quilate. Para abrir o ano novo, a maior tempestade com queda de granizo já registrada em Salto do Jacuí. A destruição foi tão grande que até hoje o município está em reconstrução. Na sequência a Febre Amarela, doença que matou centenas de Bugios e algumas pessoas. Paralelo a outros fatos desagradáveis, que podem ser conferidos na páginas dos N jornais do Estado, veio o acidente envolvendo o micro-ônibus da prefeitura de Sobradinho. Dez vidas foram colhidas pela imperícia de um motorista, provavelmente movido a rebite. Quando tudo parecia estar mais calmo, ou as pessoas já haviam se habituado a conviver com surtos de doenças e tragédias, veio a seca. Uma das maiores dos últimos 25 anos. Ah, esqueci da crise mundial, mas me perdoem caros amigos, pois até o presidente disse que era só “marolinha”...
Mas como a semente que hoje é plantada e depois, com o tempo, é colhida, estamos recebendo o pagamento por muitas ações. É possível citar, como exemplo, o caso do Arroio Carijinho - em Sobradinho. Todos os dias passo por ele e o vejo cada vez mais seco. Mas o lixo e o esgoto não param de tranformá-lo em depósito de sujeira. Um dia ele também dará seu recado. Aliás, já deu...
Temos ainda menos de sete meses para o final de 2009. Não custa mudar, pelo menos em tópicos, as atitudes que desrespeitam a própria vida. Um segundo basta para modificar um cenário que parecia ser imutável. E nós podemos sim mudar o mundo, basta querer! Nunca tivemos um volume tão grande pautas em tão pouco tempo. Para quem vive disso, bem bom. Para os que não aguentam mais as informações impactantes, sugiro ler Dan Brown. Por que? Esse autor conhece como poucos o real significado da expressão “entretenimento bem embasado”.
E o ano segue com a Gripe Suína - Influenza H1N1 -, as milhares de mortes no trânsito, as enchentes, os terremotos, as secas, as pestes, a política do escândalo...seja o que Deus quiser - e tomara que ele queira que 2009 passe bem rapidinho. Mesmo assim, “Vamos viver, temos muito ainda por fazer...” (Legião Urbana).

Ps: Agradecimento sincero pelas inúmeras mensagens que recebi no dia do meu aniversário. Vocês moram no meu pequeno/grande coração colegas...
Bom final de semana a todos

12 de maio de 2009

Feliz Aniversário Manú



Nada como chegar nesta data e ver tudo que passamos,o que vivemos, é muito bom saber, que os anos vãoe nossa amizade cada vez mais forte.
Parabéns e muitas felicidades a você. Desejo a ti paz,saúde e tudo de bom que a vida possa lhe dar, porque você merece Manú!

Estamos omemorando mais um ano de vida! Um ano que está se iniciando para você.
Dias que se passaram... Lembranças que ficam na nossa memória guardadas com muito carinho no coração... Amores passados... Felicidades... Saudades... Tudo... Tudo nos faz sentir bem...
Pois olhamos para trás e vemos tudo o que passamos... Tudo que superamos...Tudo nos marca... e nos faz perceber que apesar dos erros e dos acertos do passado... Aprendemos e muito com tudo que fizemos ou deixamos de fazer...


Hoje realmente é um grande dia, afinal de contas mais 365 dias se passaram na tua vida e com eles vieram novos sonhos,novas conquistas e também novos projetos de vida. Estou muito feliz por conhecer essa pessoa amiga e querida que você é!!!

Que você caminhe sempre em busca do sucesso, alcançando um futuro amplo, se aperfeiçoando e prosperando ainda mais.

FELIZ ANIVERSÁRIO!