27 de agosto de 2014

Uma nova Revista


Além é claro, da pesquisa, que está disponível aqui e que você pode e deve responder, é preciso pensar numa nova exceção. Uma nova revista que precisa de um conteúdo rebuscado, interessante, bacana, mas que ainda assim, se caracterize como uma “exceção”, ou seja, uma publicação diferente, fora do comum, algo realmente interessante e peculiar. São tantas edições que parece até impossível, não?!

 Neste momento, nós, alunos da disciplina, estamos sendo provocados, “cutucados” e incentivados a pensar no tipo de revista que queremos construir, no tipo de jornalismo que queremos escrever, na figura jornalística que temos como espelho para nós. Qual o sentido disso? Escrever melhor, pensar mais, refletir mais ainda.

A próxima etapa consiste em procurar, em algumas revistas, o que mais nos chama a atenção, e fazer ainda uma pesquisa do que diz na teoria sobre os aspectos que mais gostamos. Para que, dessa forma, consigamos encontrar no material que está no mercado, temas, fontes, fotografias e diagramações que nos inspirem a construir uma nova revista. Uma que contenha um pouquinho de cada coisa importante que encontrarmos ao longo dessas reflexões sobre a Exceção.

Pode parecer desinteressante, chato, cansativo. Todos têm milhares de coisas para fazer. Todos estão assoberbados e sem tempo. Mas é preciso refletir sobre o que queremos fazer, para que na hora de executar, realmente, o trabalho seja bem feito. E quanto à questão do tempo. Como diria Pedro Bial: “Não existe falta de tempo, existe falta de interesse. Porque quando a gente quer mesmo, a madrugada vira dia. Quarta-feira vira sábado e um momento vira oportunidade”.

Um comentário:

Jaqueline Rodrigues disse...

Todos unidos para que saia um excelente trabalho. Um ajudando o outro no momento de dúvida vamos arrebentar nesta edição da revista seremos os melhores...